CEO da Polishop diz que “Ser dono é diferente de ser empreendedor”

João Appolinário, CEO da Polishop, afirma que é importante saber como empreender

 

A forma de fazer negócios no Brasil e no mundo está mudando a cada dia. As chamadas “startups” estão dominando o cenário mundial e crescendo cada vez mais.

Hoje, é necessário ser empreendedor e visionário. Isso é o que diz o CEO da Polishop – João Appolinário.

Appolinário disse em entrevista à revista Istoé Dinheiro que a maioria dos empreendedores, atualmente, sofre ao criar um negócio. Isso se deve ao fato de ouvirem vários nãos ao longo da jornada. Contudo, o empresário diz que o maior desafio da Polishop foi quebrar a barreira que existia de que venda por televisão era sinônimos de produtos ruins.

 

Há alguns anos, as pessoas acreditavam que a compra de produtos que eram anunciados na televisão era ruim. Que a qualidade do produto era péssima. Com o passar do tempo, essa ideia mudou, em parte graças a Polishop.

Hoje, a empresa lança no mercado aproximadamente 150 produtos por ano. Além disso, a empresa optar por oferecer diversão e experiência para seus clientes, sendo este o seu diferencial. Appolinário disse ainda que: “Hoje você encontra uma loja Polishop dentro de todos os sites de e-commerce”. A marca ganhou a confiança dos clientes e, também dos “concorrentes”.

Nomes como Amazon e Mercado Livre são parceiras da Polishop e vendem seus produtos.

O CEO da Polishop ainda aproveitou para falar sobre os investimentos que faz. O empresário já investiu cerca de R$ 5 milhões nas chamadas “startups”. Para ele, o mais importante na hora de escolher em qual empresa investir é escolher a pessoa.

João Appolinário disse que esse o ponto que ele mais olha na hora de tomar a sua decisão. A pessoa precisa ser empreendedora, visionários. Para terminar, o empresário afirmou que “Ser dono é diferente de ser empreendedor”.


Facebook ensina lição aos empreendedores através do Messenger

O Messenger peca pela falta de simplicidade

 

O Facebook é uma grande rede social que fez de Mark Zuckerberg um grande empreendedor. Contudo, um de seus principais aplicativos está atuando como o “tiro no pé” da empresa: o Messenger.

Esse aplicativo é conhecido por todos e utilizado por cerca de 1,3 bilhão de pessoas ao redor do mundo. Entretanto, esse valor imenso se deve o fato dele ser obrigatório para que os usuários possam se comunicar com seus amigos de forma privada. Além disso, ele é lento e não possui uma utilização fácil e, dessa forma, não é um dos queridinhos dos usuários.

Assim, muitos acabam “fugindo para o Whatsapp”, pois veem nele um aplicativo rápido e simples.

Mas, nem tudo está perdido! Neste ano, o Facebook decidiu que irá simplificar o Messenger e deixá-lo mais “leve” para que possa, talvez, competir com o Whatsapp.

Os executivos do Facebook disseram que nos últimos dois anos, construíram uma série de features para conseguir o diferencial no mercado. Enquanto eles corriam para construir essas features, o aplicativo ficou lento.

Como já dizia Steve Jobs, para ter sucesso em um negócio ou produto é necessário ter simplicidade e é isso que o Facebook fará.

Segundo David Marcus, chefe de Messenger, existem outros objetivos como: conectar negócios com clientes, aumentar as mensagens de vídeo e melhorar as conversas em grupos. A ideia é trazer uma experiência melhor e mais simples para os usuários do serviço.

Assim, é importante que todo empreendedor entenda que ter muitos features não significa, necessariamente, que o produto é melhor. A chave para o sucesso está na usabilidade, na simplicidade, pois dessa forma os usuários são retidos.

Os produtos mais fáceis de utilizar dão prazer ao usuário e fazem com que eles os usem por mais tempo. Assim, o importante é ser intuitivo.


As maiores inovações da humanidade

As maiores inovações da humanidade que deixaram um impacto na história

 

A humanidade já conseguir dar grandes passos na sua evolução. Seja o envio de foguetes ao espaço ou a cura para determinadas doenças, é notório o quanto o ser humano se desenvolveu e continua em sua caminhada.

Todavia, nada disso ocorreu do dia para a noite. Foram necessários milênios de transformação e inovação para que chegássemos aqui.

Assim, neste artigo, você irá conferir algumas das maiores inovações da história da humanidade.

 

1- Roda

A roda foi uma inovação espetacular e que mudou o modo de transportar coisas e pessoas.

Se antes era difícil fazer o transporte de mercadorias, com o surgimento da roda, tudo se tornou mais fácil. No entanto, o problema não era conseguir fazer um objeto circular e que rodasse, mas sim, criar um eixo funcional.

A partir disso, o ser humano avançou cada vez mais.

 

2- Dinheiro

Todos já estudaram, em algum momento na escola, que o comércio era feito a partir da troca de produtos.

Comerciantes trocavam alimentos por outros e até objetos.

Com o surgimento do dinheiro 3000 anos antes de Cristo, na Mesopotâmia, ficou mais fácil de fazer o comércio e também de acumular capital.

 

3- Lei

Com o avanço das sociedades, foi necessário criar um método que organizasse essas sociedades de forma eficiente. Dessa forma surgiram as leis.

A primeira lei que se tem notícia surgiu no Egito Antigo. Todavia, o Código Hamurabi da Babilônio é o mais famoso até hoje.

 

4- Prego

O prego teve grande importância, pois com o seu surgimento foi possível criar construções de madeira e, assim, muitas pessoas passaram a ter um teto sob suas cabeças.

O prego foi inventado aproximadamente 2500 anos antes de Cristo e foi melhorado por Arquimedes no século III a.C.

 

5- Compasso

O compasso foi revolucionário para os navegantes.

Antes de sua invenção, só era possível navegar durante a noite, desde que não tivessem nuvens no céu. Isso porque os navegantes utilizavam as estrelas como guia.

Com a criação do compasso na China entre os séculos IX e XI, esse problema foi resolvido.

 

6- Prensa Móvel

A criação da prensa móvel é uma das maiores inovações da história, pois através dela, livros e textos passaram a ser impressos em larga escala.

Ela foi inventada por Gutenberg em 1440.

 

7- Motor

Como não mencionar o motor não é mesmo?!

Esse grande aparato, que era movido a carvão e vapor no início, foi o grande responsável pela revolução industrial.

O motor foi evoluindo e hoje, utilizar os derivados do petróleo para que funcione.

 

8- Luz Artificial

Antes da invenção da eletricidade e da lâmpada, as pessoas viam o seu dia acabar quando o sol sumia.

No entanto, Thomas Edison nos trouxe a lâmpada no começo do século XIX. Assim, as pessoas puderam ficar acordadas até mais tarde para trabalhar, o que tornou a vida mais produtiva.

 

9- Telégrafo

O que era feito por cartas passou a ser feito através do telégrafo.

A partir de 1840, as pessoas conseguiam mandar mensagem para longas distâncias em pouco tempo. Isso porque o telégrafo foi criado e permitiu que essa era da comunicação começasse.

 

10- Carro

O carro foi uma grande invenção humana. Até o final do século XIX, a locomoção humana era feita utilizando cavalos.

Tudo era feito, praticamente, a pé. Assim, as pessoas não iam muito longe de onde haviam nascido.

Com o surgimento do carro, isso mudou e as pessoas começaram a fazer deslocamentos maiores.

 

11- Penicilina

A penicilina foi uma descoberta feita por acaso por Alexander Fleming.

Essa descoberta acabou mudando a humanidade, pois através dela, antibióticos puderam ser criados para o tratamento de inúmeras doenças.

 

12- Transistores

A criação dos transistores foi importantíssima, pois permitiu o avanço eletrônico. Televisões, computadores e celulares só foram possíveis graças a essa criação.

Os transistores são usados em todos os tipos de indústrias e permitiram que a tecnologia tivesse um grande salto nos últimos anos.

 

13- Internet

Por último, mas não menos importante: a internet.

Sem ela, você não estaria lendo este artigo agora.

Uma grande inovação humana e que é capaz de fazer com que nos comuniquemos mais rápido e também aprendamos coisas com outras pessoas.

 

Sem dúvida, uma grande inovação!


Qualidades essenciais para obter sucesso segundo Harvard

Segundo Harvard, existem 8 características básicas para obter sucesso no mundo dos negócios

 

Atualmente, não é fácil obter sucesso no mundo dos negócios. Um empreendedor precisa ter várias qualidades para que isso aconteça. Algumas delas são: ter foco, ser um líder, trabalhar duro, ser determinado e, com toda certeza, ter ótimas ideias.

Assim, a Harvard liberou o resultado de um de seus estudos. Segundo a universidade, as estruturas do trabalho mudaram por conta da globalização e do surgimento da internet.

Dessa forma, o estudo da universidade mais famosa do mundo nos apresenta 8 características básicas para quem quer obter sucesso nos seus negócios. Confira abaixo:

 

1- Disposição para aprender

Esse é, talvez, o ponto chave de todas as características que serão listadas aqui.

Um líder precisa sempre procurar aprendizado. O mundo muda, as tecnologias avançam e você não deve ficar parado, mas sim, acompanhar a evolução.

O que funcionava no ano passado pode estar ultrapassado e já não funcionar este ano. Esteja atento.

 

2- Saber agir com estratégia

Outra dica importantíssima é saber como agir em cada situação.

Há alguns anos atrás, as empresas focavam em uma estratégia de longo prazo. Hoje, no entanto, é necessário que o líder saiba como agir durante todo o processo, pois podem surgir novos desafios durante as etapas.

 

3- Gerenciar as complexidades

Um bom líder saber gerenciar as complexidades. Isso quer dizer, que eles sabem avaliar a complexidade de cada situação e tomam uma decisão sábia, mesmo antes de obterem informações definitivas.

O líder deve enxergar além da superfície.

 

4- Gerenciar negócios globais

Além das complexidades de seu trabalho e decisões, o líder deve entender que está em um negócio global.

Dessa forma, ele deve ser capaz de sempre se atualizar sobre seus consumidores, fornecedores e concorrentes. É importante saber o que está acontecendo no mercado.

 

5- Saber se adaptar

Em um mundo globalizado, as mudanças ocorrem muito mais rapidamente e um bom líder é capaz de se adaptar a essas mudanças.

O líder deve olhar para as novidades e recebê-las de braços abertos.

 

6- Aproveitar das redes de relacionamento

Um bom líder possui uma boa rede de relacionamento e sabe aproveitá-la.

Isso quer dizer que ele sabe utilizá-la para estar sempre em contato com seus consumidores, fornecedores e até concorrentes. Para ser um líder, é necessário mostrar colaboração.

 

7- Inspirar engajamento

Um líder de verdade faz com que os funcionários se sintam importantes.

Não é apenas o “reter pessoal”, mas sim, fazer a diferença e inspirar em cada um o desejo de ser sempre melhor.

 

8- Promover a inovação

Uma das mais importantes qualidades para obter sucesso no mundo dos negócios é saber promover a inovação.

 

Como já foi dito acima, vivemos em um mundo globalizado onde as coisas estão sempre inovando.

Com o aumento da concorrência, é necessário que o líder pense sempre na inovação e leve a empresa a um novo patamar.


Stephen Hawking: grande cientista, gigante da humanidade

Stephen Hawking revolucionou a ciência com “A Teoria de Tudo” e “Uma Breve História do Tempo”

 

O mundo acordou triste na última quarta-feira (14). Um dos maiores gênios da atualidade – Stephen Hawking – faleceu aos 76 anos.

Hawking havia sido diagnosticado com esclerose lateral amiotrófica (ELA) quando tinha apenas 21 anos de idade. Na época, os médicos disseram que ele viveria apenas por 2 anos. No entanto, ele se mostrou forte e quebrou todas as expectativas, vivendo até os 76.

Esse grande nome da ciência foi também revolucionário por tentar entender o Universo e a “Teoria de Tudo“, nome que também foi dado ao filme que retratou sua história em 2014.

Quando criança, Hawking era chamado de “Einstein” pelos colegas de escola. Coincidência ou não, o cientista faleceu no aniversário de Albert Einstein. Além disso, Hawking nasceu no dia em que a morte de Galileu Galilei completava 300 anos.

Stephen, junto a seu colega Roger Penrose, estudou a fundo a teoria da singularidade do espaço-tempo. Para os dois físicos, a teoria dos buracos negros poderia ser aplicada em todo o universo. Hawking acabou descobrindo que os buracos negros não são vazios. Eles explodem e emitem energia em forma de radiação. Sua obra, “Uma Breve História do Tempo“, lançada em 1988, explica a sua teoria e se tornou um bestseller.

Stephen também se preocupava com os leigos. Ele queria que todos fossem capazes de entender sua teoria. Assim, ele lançou o livro “Uma Brevíssima História do Tempo” no ano de 2005. O livro possui uma linguagem “mais fácil” e mais acessível aos mais leigos.

Apesar de seu diagnóstico, Stephen Hawking planejava se casar com Jane Wilde. O casamento aconteceu, em 1965, e o casal teve dois filhos.

Stephen estava determinado a não deixar que nada o atrapalhasse. Mesmo quando perdeu sua voz após contrair pneumonia, ele começou a utilizar um sintetizador de voz acoplado a sua cadeira de rodas. Assim, o sintetizador era capaz de ditar as frases que o cientista escrevia.

Hawking se tornou doutor em Física Teórica e Cosmologia pela Universidade de Cambridge. Lá, ele pesquisou sobre a “Teoria de Tudo”. Para ele, a teoria permitiria que a humanidade conhecesse a mente de Deus.

O cientista chegou a obter a titularidade da cátedra Lucasiana de Matemática Aplicada e Física Teórica, ocupada por Isaac Newton. Essa é considerada a mais importante de Cambridge.

Infelizmente, o cientista veio a falecer no dia 14, em sua casa. Seus filhos emitiram um comunicado comentando a morte do pai: “Estamos profundamente tristes pela morte do nosso pai hoje. Ele era um grande cientista e um homem extraordinário, cujo trabalho e legado viverão por muitos anos”.

 

Hoje completa 1 semana da morte desse grande gênio.


Softbank agora controla 15% da Uber

softbank

Um acordo multibilionário foi fechado e a Softbank agora controla 15% da Uber

 

A Softbank fez um acordo multibilionário com a Uber e agora é detentora de 15 % da empresa.

Além de ter adquirido a parte da empresa com 30% de desconto, a Sofbank garante que investirá US$ 1,25 bilhão na empresa.

Essa aquisição já vinha sendo discutida desde o ano passado. Contudo, somente agora o acordo foi oficializado. Assim, a Softbank passou a controlar 15% das ações.

Como era esperado, a compra foi feita com 30% de desconto frente ao último valuation da empresa de US$ 48 bilhões. Todavia, a Softbank promete investir, como parte do acordo, US$ 1,25 bilhão na empresa.

Essa compra é ótima para a Uber, que poderá garantir o seu lugar no mercado. Por outro lado, a Softbank terá grande influência na empresa, pois se tornará a maior acionista de todas.

Além da Softbank, a Uber possui outros investidores como Dragoneer Investment Group que foi o responsável pela compra dos outros 5% da empresa.

A ideia é que esses novos sócios tragam mudanças na forma de gerenciamento da Uber. O conselho da empresa passou a contar com 17 cadeiras. Isso diminui a influência do co-fundador e ex-CEO da empresa, Travis Kalanick que foi afastado no ano passado.

Um porta-voz da Uber disse que: “Esse é um grande resultado para os nossos acionistas, funcionários e clientes, fortalecendo a governança do Uber enquanto dobramos nossos investimentos em tecnologia e continuamos a trazer nossos serviços para mais pessoas, em mais lugares do mundo

Outros acionistas tiveram que vender parte de suas ações para que a Softbank fosse capaz de adquirir os 15%. O CEO afastado, Travis Kalanick precisou vender US$ 1,4 bilhões de suas ações. Além dele, o fundo Benchmark também vendeu 15% de suas ações, o que gerou um lucro de US$ 900 milhões à empresa.

A Softbank emitiu um comunicado dizendo que: “O Uber tem um futuro brilhante sob a nova liderança. A empresa está sob o network do Softbank, que possui empresas como a Sprint à WeWork. Eu estou ansioso para o Softbank ajudar o Uber a tornar-se um sucesso global ainda maior”.

 

(Via: BusinessInsider)


Amazon continua investindo na sua estratégia de ser uma StartUp

A estratégia da Amazon de continuar sendo uma StartUp, mesmo após mais de 2 décadas no mercado, está rendendo, e muito!

 

Atualmente, a Amazon se encontra como a quarta empresa mais valiosa nos EUA. A empresa fica atrás apenas da Apple, Alphabet e Microsoft.

Contudo, o que vem chamando a atenção é a estratégia utilizada pela empresa para continuar forte no mercado. Para a Amazon, o lucro é apenas um mero detalhe. A empresa se baseia em seus quatro pilares desde a sua criação:

 

  • Cultura de inovação;
  • Foco no cliente;
  • Optimização contínua;
  • Agilidade corporativa.

 

Para Jeff Bezos, fundador da Amazon, o lucro não é o principal. Apesar das margens de lucro baixíssimas, a companhia continua a crescer.

A ideia do fundador é inteligentíssima. Para ele, a empresa deve continuar a ser uma StartUp mesmo após mais de duas décadas no mercado. Assim, ela se tornará um negócio que dura décadas.

Isso não quer dizer que a Amazon não possua lucros. No entanto, seus lucros são transformados em investimentos. Assim, os lucros são, apenas, reinvestidos.

 

O mais interessante? A estratégia vem dando certo.

 

Atualmente, Jeff Bezos possui um império de mais de US$ 358 bilhões.

Para conseguir se manter na liderança do mercado, a companhia investiu nos mais diferentes tipos de novidades. Primeiramente, começou com o Amazon Prime. A estratégia de criar um grupo de assinatura, onde o cliente pudesse sempre comprar produtos com fretes gratuitos, foi um tanto arriscada. Entretanto, a empresa inovou e acertou!

Além disso, a Amazon vem investindo em seu serviço de streaming produzindo seus próprios filmes e séries de qualidade.

A mais recente novidade? A companhia vem testando o serviço de entrega feito por drones nos EUA. Se bem-sucedido, o serviço poderá ajudar a baratear a entrega de produtos e, também, tornar estas entregas mais ágeis.

Por fim, a Amazon também possui a sua própria área robótica. A Amazon Robotics é uma das suas divisões robóticas que fabricou mais de 15 mil máquinas para substituir o trabalho humano dentro da própria Amazon.

 

Inovação e ótima gestão são grandes aliadas e levam ao sucesso!

 

Gostou do artigo? Deixe o seu comentário!

 


Conheça 7 empresas que desapareceram por falta de inovação

Grandes nomes acabaram falindo por não acompanharem a evolução do mercado

 

A tecnologia está avançando cada vez mais e, principalmente, as empresas que não acompanharem este avanço correm o risco de falir.

Para que isso não aconteça, existem duas saídas: criar programas de R&D ou apostar em StartUps.

Dessa forma, este artigo traz 7 grandes nomes que acabaram falindo, ou desaparecendo do mercado, por se recusarem a inovar.

 

MySpace

O MySpace foi uma das maiores redes sociais dos EUA, sendo a primeira e mais utilizada no país. Contudo, depois do surgimento do Facebook, ela foi à falência.

A ideia inicial da rede social era boa, pois os seus criadores perceberam que logo, logo, as pessoas começariam a compartilhar fotos, vídeos e outras formas de mídia. As pessoas queriam se conectar.

No entanto, o Facebook surgiu com outras funcionalidades e isso levou à falência do MySpace.

 

Kodak

Quem não se lembra da Kodak, não é mesmo?!

Na década de 1980 e 1990, muitas pessoas utilizavam os filmes da Kodak para tirar fotos e marcar um momento especial. Entretanto, a empresa é mais uma que não investiu em inovação e, por isso, faliu.

A marca foi responsável pela criação da câmera digital na década de 1970. Todavia, seu erro foi não investir no produto. A empresa optou por engavetar a ideia.

Infelizmente, de nada adiantou. Nos anos 2000, as câmeras digitais surgiram e quebraram a Kodak que, até tentou continuar no mercado lançando as suas câmeras digitais. Porém, tudo já estava perdido.

 

Atari

A Atari foi uma das gigantes no ramo do videogame.

Ela é conhecida por ter lançado grandes videogames como o Atari 2600. Entretanto, outros nomes inovadores foram surgindo e tomaram o seu posto como a Nintendo, por exemplo.

A empresa até tentou se segurar, mas acabou sendo vendida em 2008.

 

Blockbuster

Outro nome, que talvez você não se recorde muito bem, mas, que era gigante, principalmente na década de 1990.

A Blockbuster era uma empresa que fazia o aluguel de filmes em locadoras, tendo clientes fiéis.

Contudo, devido aos serviços de streaming, as pessoas foram parando de alugar filmes e assim, a empresa faliu.

O mais interessante é que a Blockbuster teve a oportunidade de comprar a Netflix no ano 2000, mas não comprou. A Netflix estava apenas no início, mas seria um ótimo investimento.

 

Yahoo!

O portal Yahoo! foi um dos grandes nomes na internet. Entretanto, a empresa caiu no erro de não inovar, sendo apenas um portal de mídia e não de pesquisa.

Assim, a empresa acabou sendo vendida para a Verizon por muito menos do que um dia chegou a valer.

É realmente uma pena.

 

Blackberry

Essa é muito recente e você lembrará!

A Blackberry foi a pioneira no ramo dos smartphones. No entanto, no ano de 2007 o Iphone chegou ao mercado e, a Blackberry se recusou a inovar.

Um dos principais avanços ignorados pela empresa foi a utilização da tela touchscreen. Assim, a empresa faliu e, nos dias atuais, tenta se reerguer.

 

Xerox

Essa é apenas uma menção nessa lista. A Xerox não chegou a falir, porém, atualmente, vale muito menos.

Apesar de ser uma das companhias que ajudaram a inovar em tecnologias que usamos no dia a dia, a empresa não soube aproveitar essa tecnologia.

Portanto, de nada adianta ter um time inovador se não houver a gestão adequada.

 

Inovação e gestão caminham de mãos dadas!

 

Gostou do artigo? Deixe seu comentário!


Nanorobôs são criados para destruir células cancerígenas

Cientistas criaram nanorobôs que são capazes de rastrear e matar apenas as células cancerígenas

 

Realmente estamos vivendo uma evolução no campo da ciência e pesquisa.

Desta vez, cientistas da Arizona State University e The Chinese Academy of Sciences comunicaram uma novidade: a criação de nanorobôs que são capazes de rastrear e atacar tumores, sem afetar células saudáveis.

O resultado da pesquisa foi anunciado no jornal Nature depois de longos cinco anos de desenvolvimento.

A descoberta é incrível, principalmente porque os nanorobôs não atacam nenhuma célula saudável, apenas tumores. Isso se deve ao fato das células cancerígenas possuírem o nucleolin, uma substância que só é encontrada na superfície delas e não, nas células saudáveis.

Dessa forma, os cientistas foram capazes de criar uma célula baseada no sistema do DNA do indivíduo e de um origami. Isso significa que ela é dobrável.

O nanorobô carrega consigo uma substância chamada de trombina, que é supressora de fluxo sanguíneo. Assim, essa “célula” (nanorobô) se desdobra ao avistar a célula cancerígena. A trombina, contida na “célula”, cria um coágulo que é capaz de sufocar o tumor e inibir a passagem do sangue. O dano que isso causa ao tecido cancerígeno pode ser visto após 24 horas.

Baoquan Ding, médico chinês e co-autor da pesquisa, comentou a respeito dos resultados. Segundo ele, “esse coágulo sanguíneo pode levar à morte do tecido cancerígeno e à regressão do do tumor”.

Já Hao Yan, diretor do ASU Biodesign Institute’s Center for Molecular Design and Biomimetics, disse que: “essa tecnologia pode ser usada em vários tipos de câncer, já que, essencialmente, os vasos sanguíneos dos tumores são os mesmos”.

Os testes ainda não foram feitos em humanos, apenas em ratos e porcos. Os animais tiveram injetados em seus corpos diversos tipos de câncer como de pele, mama, ovário e garganta. O índice de sobrevivência entre os ratos dobrou. No caso do câncer de pele, por exemplo, 3 em cada 8 ratos tiveram a regressão completa do tumor.

Agora, Yan e os outros colaboradores da pesquisa estão à procura de mais parceiros para que possam desenvolver ainda mais essa tecnologia.

 

(Via ASU Now)


Peugeot apostará somente nos carros elétricos no futuro

Peugeot planeja ser uma montadora somente de carros elétricos voltando, também, para o mercado americano com carros autônomos

 

A Peugeot-Citröen pretende lançar no mercado opções de veículos híbridos e elétricos para todos os modelos da marca existentes até 2025.

A afirmação foi feita pelo CEO Carlos Tavares. Além disso, ele ainda disse que a empresa planeja retornar ao mercado americano após mais de duas décadas fora dele.

A empresa, também, tem planos para lançar carros autônomos. De todos os seus veículos lançados até o ano de 2030, 80% possuirá funcionalidades parciais de direção autônoma. Pelo menos é o que a empresa almeja.

Além disso, 10% da frota deverá ser totalmente autônoma. Para isso, a Peugeot está fechando parcerias com várias empresas do ramo da tecnologia autônoma. A empresa já trabalhou anteriormente com a Nutonomy e iniciou um programa piloto de carros autônomos em parceria com a Almotive na França.

Segundo o CEO Carlos Tavares, a Peugeot pretende retornar ao mercado americano e, para isso, começará através de um serviço de corridas utilizando veículos de outras marcas. Assim, somente após um período, os carros da empresa serão utilizados no serviço. Por último, os veículos voltarão ao mercado dos EUA para que consumidores possam comprar.

O que podemos notar é que os veículos elétricos e autônomos estão vindo para ficar e, as marcas que não aderirem a esse tipo de veículo, com certeza, ficarão para trás.

A Ford foi uma das empresas que anunciou o lançamento de 40 carros elétricos até 2022. Já a General lançará 20 veículos deste tipo em 6 anos. Enquanto isso, a BMW já começou no ramo e vendeu cerca de 100 mil veículos elétricos o ano passado. Até a Shell, detentora de uma das maiores redes de postos de gasolina, vem apostando em infraestrutura para carros elétricos.

Pelo que podemos ver, logo, logo, poderemos desfrutar de carros elétricos, escolher o quanto podemos pagar e, até a potência que queremos em nosso carro. Isso se deve ao fato de que empresas de luxo como Ferrari e Aston Martin também devem entrar no negócio.

 

(Via: TechCrunch)